hot yoga

Olá queridos,

Já que o verão veio fervendo este ano aqui no Brasil, vamos aproveitar o ensejo para falar sobre a modalidade de yoga que mais cresce nos Estados Unidos: a Hot Yoga.
Esta semana uma amiga me perguntou o que eu achava da Hot Yoga.

Bom, neste mês de janeiro dei algumas aulas onde, as 8:00 da manhã, o calor já estava em 30o. Entre 30o e 35o, os alunos já suam “em bicas”, e mesmo assim eu prefiro deixar as janelas abertas.

O ano passado, em Los Angeles – Califórnia (EUA), fui conhecer um estúdio especializado em Hot Yoga. Eu já conhecia a Bikram Yoga de quando estive em Londres, uma das modalidades mais famosas das que adotam a sala aquecida e umidificada. Mas nem toda Hot Yoga é Brikam, capici?

A sala aquecida a 40o com umidade mínima de 40% é uma invenção dos americanos para que as condições ambientais da sala de aula se assemelhassem as da Índia, especialmente de Mysore, cidade meca da Ashtanga Vinyasa Yoga. A idéia é que, com o calor, a musculatura, tendões e ligamentos se alongam com mais facilidade, permitindo que os praticantes avancem mais rapidamente nas posturas.

Mas, os praticantes das aulas quentes também observaram que perdiam até 3 kg por aula e que de certa forma a prática intensa acelerava o metabolismo. Hello, people!!!! Perdem 3 kg sendo que provavelmente 95% é de água, fazendo uma estimativa grosseira. A prática intensa de ásanas(posturas de yoga) faz com que o praticante perca peso de qualquer forma a longo prazo, assim como a aula de spinning. Mas queimar gordura dependerá de quantas aulas por semana se faz e se a alimentação segue de acordo com este propósito. Uma vez usamos um frequencímetro em um aluno numa aula de Vinyasa da Reebok quando eu ensinava lá, e por quase toda aula a frequência cardíaca dele se manteve acima dos 160 bpm, o que configura uma atividade bastante intensa para o coração. E a sala não era aquecida…

Mas de volta a minha aula em Los Angeles, confesso que nos minutos que antecederam a aula, tive medo de ter um “piripaque”. Me controlei. Entrei numa sala gigantesca no Moksha Yoga LA, hoje Moda Yoga, considerado o melhor estudio de Hot Yoga de Los Angeles pela revista Best of LA. Eu não sabia disso… o lugar simplesmente era do lado da minha casa. A recepcionista meio riponga e bem antipática me recomendou levar, além do tapete (mat), uma garrafa d’água e uma toalha. Nas práticas de yoga tradicionais, o consumo de água durante a aula é desaconselhado. Coloquei meu mat no chão e comecei a rezar um “Pai Nosso”. A Hot Yoga é conhecida entre os praticantes como “tortura”, tamanho o suor e o sufoco que é ficar na sala fervendo, se derretendo aos poucos.

yoga-bikram

A aula decorreu como uma aula normal de Vinyasa Flow, uma das modalidades que dou aos meus alunos, bem intensa mas sem uma sequencia fixa de posturas. Exceto pelo calor, que esse sim é de matar. Naturalmente já suo muito, mas desta vez eu escorregava no mat. Nem na prancha de Stand Up, o Yoga foi tão molhado!! A pressão caiu algumas vezes e parei para me recuperar. Foi desconfortável.

Resumindo, queridos, não vi propósito. Não gosto das práticas que forçam demais o corpo a algo para qual ele não está preparado naquele momento. Se o seu corpo não se alonga o suficiente hoje, continue praticando que gradativamente ele se alongará ao seu tempo saudável. E se ele nunca se alongar os 100% que você deseja… E daí? Não gosto desta atmosfera de performance e competitividade (neste caso com você mesmo) que algumas destas práticas impõe a um praticante mais desavisado.

A perda excessiva de suor gera um desequilíbrio de potássio, cálcio, magnésio entre outros eletrólitos. O distúrbio destes elementos conhecidos como sais minerais pode ocasionar problemas para o organismo. Além das câimbras podem surgir dor-de-cabeça, fadiga excessiva, dores musculares, náusea, vômitos, diarréia e nos casos graves, convulsões. É importante repor este perda não só com água, mas com isotônicos, água de coco, ou água + alimentos salgados. E o fato é que na escola onde pratiquei, nada foi falado sobre a importância de tal reposição além da água.

hot yoha 2
A aula que pratiquei foi a Moksha Flow

Sobre os demais benefícios alegados para esta prática de hot yoga (expansão da respiração, tonificação muscular, melhora postural, diminuição do estresse), a yoga sem aquecimento também os proporciona, pois estimula o calor interno do praticante, que por si já traz excelentes resultados.

Lembremos que o intuito principal de toda prática de yoga deveria ser a consciência. Consciência do corpo, da mente, do ego… Questione sempre a sua real motivação para a prática e alinhe seus propósitos individuais ao equilíbrio e discernimento que esta filosofia – O Yoga – tanto propõe.

  • Para praticar: Sequencia 1: Vinyasa – Intermediário Olá queridos, Há muito tempo meus alunos me pedem vídeos com as práticas que realizamos em aula, para que possam praticar sozinhos. Comecei a gravar minhas práticas individuais e […]
  • Christy Turlington de peito aberto: benefícios da retroflexão A top model Christy Turlington além de nascer deusa enagajou-se na causa da yoga e pelo mundo afora é conhecida pela seriedade da sua prática. Christy é uma estudante aplicada de […]
  • Os principais equipamentos e acessórios para yoga Conheça os acessórios de yoga mais comuns e saiba quando é necessário usa-los. Muita gente qua está iniciando a prática de yoga fica confusa com os equipamentos e acessórios (também […]
  • Lady Gaga pratica Yoga Lady Gaga pratica yoga? Por essa ninguém esperava, hein? A popstar que adora um factóide e um vestido de carne Lady Gaga é "praticante" de yoga desde 2004, antes mesmo de se tornar […]