matutu 17“Serra do Papagaio vista do Vale do Matutu”

Continuamos aqui a viagem pelo Vale do Matutu, que parece mesmo um local encantado.

Hoje o Vale do Matutu (“cabeceiras sagradas”, em linguagem indígena) pertence a APA-Mantiqueira (área de proteção ambiental) e possui uma comunidade praticamente auto sustentável, conquistas que vêm crescendo com a Fundação Matutu, gerida pela comunidade local. O intuito de seus organizadores é proporcionar aos moradores do vale uma vida harmônica com a natureza, criando condições para a realização espiritual, social e econômica de seus indivíduos e possibilitar a multiplicação dessa iniciativa. A comunidade foi fundada em 1984 quando uma grande fazenda foi desmembrada passou a acolher pessoas movidas pelo mesmo ideal.

O casarão que era a sede da antiga fazenda abriga hoje a Fundação Matutu, local onde os turistas podem receber mais informações sobre os passeios e a história do Vale do Matutu, além de uma lojinha que vende o artesanato local, um café com quitutes deliciosos e uma cooperativa que vende produtos locais. Lá você pode também conversar com o guias que te conduzirão mata a dentro para as cachoeiras e picos tão procurados!

matutu 18matutu 14

É gostoso demais caminhar pela estrada de terra do vale. (Se for pelo mato, nas trilhas, vista tênis ou bota e calça comprida, ok? ). De quase todos os pontos você pode avistar a paineira gigantesca que nesta época estava forrada de rosa. Abaixo dela fica a capela onde fizemos a meditação com cantos gregorianos, que acontece todas as noites as 19:00 e é aberta ao público. Esta é uma iniciativa do Cândido, artista que elabora figuras (a maioria sacras) em mosaicos com perfeição que nunca vi antes. Cândido e seu irmão Paulo têm a Pousada do Matutu (35-3332-6135), onde além da meditação acontecem as sessões de cinema, outras oficinas artísticas e as refeições em uma grande mesa como uma grande família.

matutu 21matutu 11matutu 12matutu 13

Em um dos dias, fomos fazer a trilha a cavalo que leva ao topo da “Cabeça do Leão”, o cume oposto ao Pico do Papagaio de onde a vista é de tirar o fôlego. Um agradecimento especial ao meu querido amigo Marcelo que emprestou seus cavalos e nos guiou na aventura. Junto a mim na foto, minha lindona amigucha Giovana, a quem mando um beijo muito especial pelo carinho do convite ao Matutu e pelos dias maravilhosos e harmoniosos que passamos lá.

matutu 23matutu 25

Na volta da trilhas, um merecido pit stop na cachoeira das fadas, que tem um acesso super fácil atrás do casarão.

matutu 20matutu 22matutu 8matutu 24

E é com este carinho imenso, muita gratidão e as melhores memórias possíveis que me despeço do Vale do Matutu. Um grande beijo aos que dividiram a jornada comigo (Giovana, Vera, Daniel, Alice e Marcelo) e até breve! Namaste

  • Vale do Matutu – parte I – Oca Soma Olá queridos, Hoje vamos falar da rota alternativa que adotei para este feriado de Carnaval, onde a grande maioria de brasileiros prefere a praia e/ou as agitações que acontecem em […]
  • Mudando o estilo de vida: boas risadas e reflexão com ‘Viajar é Preciso’ Você ja pensou em largar tudo, toda essa correria, um estilo de vida agitado, lotado de compromissos, poluição, cobrança de chefe, trânsito e tudo aquilo que parece minar as energias […]
  • Floresta no Apê O empreendimento italiano Bosco Verticale (Floresta Vertical), em construção em pleno centro da superpoluída Milão, traz uma proposta arrojada para solucionar alguns problemas […]
  • Kite Surf Quarta feira, 16:00 hs, e olha só a manifestação Kite Surf da Praia do Pepê, na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio de Janeiro. Impossível não prestar atenção a este lifestyle. O mar […]