'Free Spirit Spheres,' a popular alternative night stays while visiting the Central Vancouver Area. near Errington and Qualicum Beach, Central Vancouver Island, British Columbia, Canada
Free Spirit Spheres, pousada em Central Vancouver Island, no Canadá*

Estes dias escrevi uns artigos para o Portal Namu sobre arquitetura sustentável, assunto que amo de paixão. Por lá falamos sobre um projeto premiado de casa para montar em um dia, que além de ter os materiais sustentáveis, foi desenvolvida para atender população de baixa renda, especialmente a grupos nômades na África e Ásia. Demos também dicas sobre hortas em casa, “cidades transição”, tendências mundiais de sustentabilidade na decoração de ambientes, projetos de iluminação e etc.

Clique aqui para navegar nos meus textos de arquitetura sustentável no Portal Namu.

Mas hoje vamos falar sobre o canal que impacta no meio ambiente em grande escala: o uso e manejo de materiais e técnicas de construção, além da consciência sobre o uso.

A Fundação de Arquitetura da Colômbia Britânica, no Canadá, lançou recentemente uma competição internacional para que profissionais e escritórios criassem uma casa de 1200 m2 para quatro pessoas com materiais criados ou reciclados a até 100 milhas de Vancouver, capital da província. A ideia de se estabelecerem restrições geográficas em materiais de construção é um conceito que vem se desenvolvendo de uns anos para cá, apesar de muitos designers já criarem peças e mobiliários a partir de materiais locais, por exemplo as madeiras de árvores comuns em determinada região sob manejo sustentável.

Segundo a fundação, o conceito é propor que as pessoas conheçam boas matérias-primas em seu entorno, sem precisar importar mármore da Itália ou bambu da China para deixar a casa mais bonita e funcional.

Acho essa linha essencial para engajar de vez a arquitetura e construção, em geral tão nocivas ao meio ambiente, nos novos paradigmas da sustentabilidade. Mas convenhamos: uma casa de 1200 m2, de “sustentável” tem só a arquitetura, né?

Amiguinhos, a sustentabilidade envolve a tomada de consciência sobre o que realmente precisamos. Conforto e beleza são coisas maravilhosas as quais TODOS deveriam ter acesso. O excesso no consumo e no TER, de qualquer natureza, é que gera uma falha enorme na cadeia. Se a casa sugerida tivesse metade ou um terço do tamanho, ainda atenderia com muito conforto uma família de quatro pessoas.

Então, fiquem ligados: Para que haja sustentabilidade, é necessário sim haver melhor escolhas de materiais, reciclagem, reutilização e renovação de fontes como água e luz e menos emissão de carbono nos deslocamentos. Mas ainda assim, sem a nossa CONSCIENCIA sobre o o tamanho do nosso “ter”, muito pouco mudará a história do nosso planeta!

É hora de despertar! ;-)

* A pousada Free Spirit Spheres, em Central Vancouver Area, British Columbia, no Canadá, deu o que falar em seu projeto arrojado que além de utilizar materiais locais, usou fundações locais! hehe… Sim, suas acomodações são em esferas nas altas árvores comuns nesta região. Uma forma divertida e ecológica de se hospedar e conhecer um pouco mais sobre a arquitetura natural.

  • Lixo no mar NÃO! Entenda como você também pode estar com as mãos cheias deste plástico. Acordando mais um dia no paraíso, numa reserva ecológica no litoral fluminense, rumo à praia que nos […]
  • Green Nation Fest na Cidade Maravilhosa Hoje (05 de junho) é dia de comemoração: Dia Mundial do Meio Ambiente e Ecologia. E para celebrar a data, acontecerá até 07 de junho no Rio a Green Nation Fest, um super festival de […]
  • O impacto do uso de ar condicionado no consumo de energia Se tem um país calorento no mundo é os Estados Unidos. Atualmente, os americanos usam mais energia do que todas as nações do mundo juntas, para se manterem fresquinhos sob o […]
  • Dicas de presente sustentável e acessível Que tal dar aos seus amigos um presente super bacana, que seja sustentável a ainda bem acessível? Quem tem muitos amigos sabe que, quando chegam os aniversários e outras comemorações, […]