reciclar-a-mente

Guardamos ao longo dos anos, consciente e inconscientemente, inúmeras experiências, emoções, sentimentos e memórias em nossa mente. Acrescente também os incontáveis estímulos que somos expostos todos os dias através das notícias, eventos, episódios assistidos ou vividos. Reciclar a mente se torna crucial e imprenscindível para quem quer acessar um estado saudável de funcionamento emocional e físico no cotidiano.

Tudo o que foi vivido no passado, mesmo que hoje pareça não estar presente, ficou armanezado em algum lugar dentro de nós. Tentem imaginar a mente com salas e compartimentos. Há um momento em que o abarrotamento provoca rupturas que podem vir em formas de explosões comportamentais, doenças psicossomáticas, comportamentos repetitivos nocivos em qualquer área da vida, sofrimento e estresse.

Com muita frequência ouvimos palestras e debates sobre a importância da reciclagem no mundo. Hoje mesmo escutei uma notícia sobre a poluição e destruição do oceano e das espécieis que o habitam. A água mais quente, torna-se mais ácida e mata os corais que são fonte de alimento para diversas espécieis. A quantidade de petróleo que cai no oceano também tem contribuído para a desestabilização do ecossistema marítmo.

O lixo comum acaba sendo depositado em aterros e pouco dele acaba reciclado. Já existe uma conscientização maior das empresas e da população em tentar consumir alimentos e produtos de maneira menos destrutiva para o planeta, mas mesmo assim a balança encontra-se em grande desigualdade frente a toda poluição e lixo que produzimos.

Transportando o mundo externo para o interno, acontece o mesmo com nosso organismo.

Pensamentos e emoções podem interferir de maneira patológica ao funcionamento natural e saudável de nosso corpo, mente e espírito, contaminando-o, poluindo-o.

A reciclagem da mente é muito importante para a manutenção da mesma e para a criação de novas possibilidades e experiências emocionais, neuronais e celulares. Muitas doenças podem vir a ser evitadas ou curadas de maneiras mais rápidas com menor grau de sofrimento.

As pessoas então conseguiriam ter muito mais qualidade de vida interior, ou seja, tranquilidade, fluidez de pensamentos e ideias criativas, o que resultaria também na vida externa.

Para reciclar é preciso conhecer

A maneira como vivemos facilita ou dificulta a reciclagem. O viver consciente requer uma compreensão maior acerca de tudo o que nos compõe: nossos hábitos que são gerados das experiências e crenças que recebemos desde que nascemos; a capacidade de elaborar conflitos que também vêm da possibilidade de reconhecer as emoções e sentimentos; a capacidade de aprofundar nas experiências e para isso se faz necessário novamente o conhecimento acerca do mundo emocional. Para reciclar a mente é preciso conhecer o mundo emocional.

Pessoas mais superficiais ou que funcionam muito no racional tendem a desconhecer o mundo emocional. Isso é perigoso porque impossibilita a reciclagem mental. Sem conhecer ou reconhecer que muitos de nossos comportamentos e escolhas estão diretamente relacionados à mágoas, ressentimentos, culpas, medos, desejos, crenças herdadas familiares e sociais e conflitos, ficamos a mercê de interferencias e movimentos inconscientes que nos assustam. Com isso, podemos nos sentir muito fragilizados frente à vida e construímos defesas rígidas e intransponíveis, as quais se tornam nocivas ao longo do tempo pois, impedem a mudança, a transformação, a reciclagem.

Cristina Ciola Fonseca
Psicanalista
11 998509074 / 11 50529286
[email protected]