yoga_Christy-Turlington

A top model Christy Turlington além de nascer deusa enagajou-se na causa da yoga e pelo mundo afora é conhecida pela seriedade da sua prática.

Christy é uma estudante aplicada de yoga em todos os seus aspectos: físicos, intelectual e espiritual. Ela pratica as posturas 03 vezes por semana sozinha em casa e 02 vezes em estúdio de yoga. Quando em Nova York, cidade onde reside, ela frequenta o Jivamukti Yoga Center. Ela começou a praticar com 18 anos de idade, quando um amigo em São Francisco, na California, convidou-a para a prática de Kundalini Yoga, onde se impressionou com a disciplina que a prática exigia.

Após dez anos, ao perder o pai de câncer, Christy voltou sua vida mais intensamente ao yoga: “Eu estava interessada em limpar o meu corpo em um nível profundo. A yoga realmente purifica seus órgãos e seu sangue. Você sente a energia circulando. Mas a melhor lição que a yoga pode te dar é o aprendizado sobre estar presente” diz a modelo.

Hoje além de ser praticante, Christy Turlington tem uma marca de roupas de yoga além de estar por trás de várias campanhas sobre conscientização em saúde para a família.

Na foto, Christy Turlington está em Dhanurásana, ou postura do arco. As posturas onde as costas são projetadas para trás promovendo intensa abertura do peito pertencem a classe das posturas de extensão, ou como chamamos mais popularmente, retroflexões.

São posturas que trabalham intensamente abertura energética e física, despertando a coragem, a força de vontade e a disposição para a vida. Pela poderosa ação sobre o Manipura Chakra, tem o poder de transcender as raízes da raiva, aliviando as emoções negativas e gerando disposição mental.

Fisicamente, atua em toda coluna vertebral, irrigando e tonificando o sistema nervoso vagossimpático, bem como os aparelhos digestivo, urinário, genital, respiratório e circulatório. Combate irregularidades menstruais, prisão de ventre e regula as funções renais, hepáticas e intestinais. Pela massagem que produz no pâncreas, regula a secreção de insulina.

Poderosa, não?