yoga

Resolvi escrever sobre conexão mente corpo para elucidar a correlação intrínseca entre ambos. Mente e corpo não são separados, aliás somos um em todos os sentidos. Porém, foi necessário separar o todo em várias partes para que um aprofundamento teórico específico pudesse trazer luz às questões humanas tanto no corpo físico como no mental e espiritual.

É cada vez mais comum a divisão em subpartes do corpo e da mente. Nos campos científicos houve um grande avanço sobre o funcionamento do corpo, suas doenças e disfunções. A medicina nunca esteve tão repleta de especialidades e subespecialidades, com tantos detalhes e compreensões.

O perigo é o desfacelamento dos seres. Muitas doenças físicas, senão quase todas tem relação com questões emocionais e estas estão correlacionadas com a experiência de vida das pessoas, com o ambiente familiar, de trabalho e do dia-a-dia.

A grande maioria dos profissionais da área médica, por diversos fatores externos, como alta demanda de pacientes, rapidez nos atendimentos (refiro-me aos ambulatórios e atendimento emergenciais públicos ou ligados aos convênios médicos) acabam por priorizar somente os elementos físicos. Muitas vezes pode funcionar, mas outras tantas não.

Sem uma compreensão mais aprofundada que englobe todos os aspectos da conexão mente corpo corre-se o risco do sintoma físico e/ou psicológico não desaparecer.

Um outro aspecto é a urgência de respostas imediatas. As pessoas buscam os atendimentos médicos e até mesmo psicológicos ansiando por soluções rápidas. Já escutei algumas pessoas reclamando que tal médico gosta de conversar e não pede exame, por exemplo. Nem sempre é necessária essa bateria de exames, mas como a tecnologia trouxe bastante avanço neste campo, as pessoas sentem-se mais seguras com os resultados mais objetivos.

Aqui aponto algumas questões: A rapidez nas consultas médicas (exceto as particulares), a alta medicalização, a falta de confiança num atendimento nada personalizado criam um contexto na mente coletiva de que ir ao médico é sair repleto de exames e remédios. Não adianta tomar uma gama de medicamentos sem tratar as reiais causas que estão gerando esses distúrbios no corpo e muitas vezes elas estão conectadas com as camadas mais sutis (emocionais).

Afinando corpo e mente

Tive algumas experiências interessantes na exploração do corpo. Fiz um curso de teatro e uma das disciplinas era a corporal. Nesta aula fomos aprendendo a desenvolver uma consciência maior sobre o corpo no espaço e também sobre as sensações que tínhamos em realizar os exercícios de diversas maneiras. Como tive aula corporal na faculdade de psicologia, achava qua já conhecia bastante meu corpo e principalmente a conexão mente corpo. Mas, durante as aulas fui percebendo inúmeros fatores sobre meu corpo e como estes influenciavam meu emocional.

conexao-corpo-mente

Depois de alguns anos comecei a praticar Yoga e igualmente fui surpreendida. Muitas posturas (Asanas) interferem na mente, expandindo-a, acalmando-a, flexibilizando-a, fora vários ossos e partes do meu corpo que até então eram inexistentes à minha percepção, acordaram através dos movimentos. São processos que ampliam a nossa consciência corporal e mental.

Hoje consigo no meu dia estar atenta as minhas posturas, jeito de andar, minhas tensões, o quanto minhas preocupações alteram meu físico e com as técnicas aprendidas, principalmente as respiratórias, consigo transformar os estados que estou vivenciando, quebrando com o ciclo de estresse e ansiedade no qual somos bombardeados constantemente.

Outro exemplo aconteceu quando fiz acupuntura e naquela ocasião a médica solicitou minha permissão para usar ventosas. Eu já conhecia o efeito das agulhas, com elas curei uma TPM insuportável e acalmei um estado agitado interno que não me deixava em paz. Mas, com as ventosas algo muito mais profundo ocorreu, liberei vários sentimentos profundos que estavam encrustados e encapsulados dentro de mim. Nesse período também estava num processo de análise pessoal e foi muito rico levar essa experiência da acupuntura à minha analista.

Como já mencionei outras vezes se for possível combinar tudo isso com um processo de auto conhecimento (pode ser através da psicoterapia ou análise) o resultado será cada vez mais eficaz no sentido de uma maior integração de todos os aspectos e elementos que estão relacionados com nosso corpo, mente e espírito ou essência.

E você, consegue ter uma percepção de como anda seu corpo e seus estados psicológicos? Faz alguma atividade física voltada também para a ampliação da consciência? Repara em seu corpo quando levanta, quando está se alimentando, quando está trabalhando ou circulando pela cidade? Repara em sua respiração? Se está mais agitada, mais calma? Faz algum trabalho de auto conhecimento?

Sem iniciarmos esse conhecimento sobre a conexão mente corpo podemos continuar num ciclo vicioso que só aumentará o estresse, a angústia e o sofrimento.

Cristina Ciola Fonseca
Psicanalista, graduada na PUC-SP, com especialização na UNIFESP
Consultório particular (11) 5052 9286 / 99850 9074
[email protected]m

(Ilustração de abertura: Eva Uviedo para Prana Yoga Journal)