Mid adult woman meditating
Já ouviu falar que os meditantes não precisam dormir? Esta é uma polêmica que gira em torno da prática de meditação x sono. Médicos, cientistas e estudiosos de meditação ainda não chegaram a um consenso.

O fato é que são tipos de descanso diferente, que podem trabalhar muito bem trazer resultados complementares para a saúde física e mental.

“O sono é essencial para a vida humana. Sem dormir, não conseguiríamos sobreviver”, diz o biólogo Rogério Santos Silva, do Instituto do Sono, de São Paulo. Quem sofre de insônia que o diga. As funções motoras ficam bem afetadas, o raciocínio muito mais lento.

O professor de meditação Markus Schuler afirma que “o descanso proporcionado pela meditação não vai substituir o sono da noite. As pessoas que praticam meditação precisam continuar dormindo, talvez um pouco menos, porque acumulam alguma reserva ao meditar”. Para Schuler, meditar é um jeito simples e eficaz de acalmar a mente e levar a um descanso mais profundo do que o proporcionado pelo sono.

“Numa sessão de meditação, nossa frequência cardíaca e respiratória caem significativamente e a taxa metabólica, medida pelo consumo de oxigênio de nossas células, diminui 16% em apenas 20 minutos. Durante o sono, essa taxa cai 8% e somente depois de 6 horas”, afirma Schuler. “Esses números são importantes porque, quando o organismo trabalha mais lentamente, ele proporciona mais descanso.”

Então, a dica é a seguinte: Concilie uma boa noite de sono a 20 minutos diários de meditação. :-) O equilíbrio é sempre o melhor caminho!