26_02_2012_16_24_12

Em janeiro passado, tirei vinte dias de férias para me refugiar em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo e passar boas horas comigo mesma. Escolhi uma praia de pescadores já na divisa com Parati. Piçinguaba é o nome deste paraíso. Longe de mercados e comércio em geral, fiz minha comida sob preceitos do Ayurveda, oleações e práticas de Yoga para reequilibrar o dosha e muita meditação. Com o intuito do retiro sozinha, mergulhei fundo nas experiências do meu corpo e minha mente.

Quem me acompanhou foram os livros que levei. E que, obviamente acabaram rápido: O que mais se fazer num lugar longínquo, sem televisão e nenhum amigo por perto?

Encontrei na pequena casa de pescador em que estava, reformada e a mim oferecida pela minha querida aluna Rosana, um livro que deliciosamente devorei: “A Cientista que Curou seu Próprio Cérebro”, de Jill Bolte Taylor.

O livro conta a história de uma neurocientista que, após sofrer um AVC (derrame) no hemisfério esquerdo do cérebro, tomou contato com uma realidade muito mais livre de julgamentos e repleta de plenitude, mesmo diante do exaustivo processo de reabilitação. Um “nirvana!”, como ela diz.

Indiquei na semana passada este livro para a aluna Layla, que prontamente pesquisou sobre a autora e encontrou um vídeo onde ela relata sobre a experiência do derrame e suas descobertas.

Mas você não precisa passar por um AVC, nem outra doença qualquer, para conhecer o Nirvana. Nem precisa estar vinte dias isolado em uma pequena casa num lugar longe do mundo. A prática do auto conhecimento pode acontecer AQUI E AGORA. Temos a nossa disposição uma série de ferramentas, como o yoga e a meditação, que nos permitem vasculhar e domar este lado esquerdo do cérebro e realizar tudo aquilo que já somos: a Unidade e a Felicidade, sem limites. ;-)

Aqui abaixo você por espiar um pouco do paraíso onde estive. Namaste!

26_02_2012_16_24_5326_02_2012_16_22_5326_02_2012_16_20_2126_02_2012_16_26_0326_02_2012_16_26_54