magoas-inconscientes

Sabemos que as mágoas ficam armazenadas em nosso interior e que podem causar distúrbios emocionais e/ou doenças físicas ao longo da vida.

Hoje vou explicar e aprofundar porque isso acontece e como podemos nos livrar, trazendo saúde e prosperidade.

Desde que nascemos diversos episódios vão marcando a nossa história, determinando e direcionando o curso de nosso desenvolvimento emocional. Quando esses acontecimentos geram estresse, tristeza, sentimentos dolorosos e difíceis de serem processados mental e emocionalmente, as mágoas se instalam. Elas podem representar um único episódio ou estar presente em diversos, conscientes e inconscientes. Para a psicanálise o inconsciente é muito maior do que o consciente. Isso quer dizer que muitas lembranças ou sensações são inconscientes e atuam como protagonistas em nossas escolhas, reações e sentimentos, sem que saibamos que existe um filme e um protagonista.

Mágoas atuais tem origem no passado

Conflitos com familiares, raivas generalizadas em relação as pessoas e ao mundo, sentimentos repleto de ódio em determinada circunstância, seja ela coletiva ou individual, geralmente são frutos de mágoas antigas.

Por exemplo, uma criança que foi criada por um cuidador (pai, mãe ou outra pessoa destinada a criação) muito autoritário e rígido, poderá ter uma tendência a se sentir injustiçado no trabalho caso seu chefe funcione desta mesma maneira. Qualquer experiência difícil, de não consideração do outro para conosco, de desrespeito, é muito desconfortável e pode gerar muito sofrimento. Agora imaginem uma infância repleta de situações desta ordem.

A criança sente-se muito triste, pode desenvolver raiva ou ódio, tende a reprimir todos esses sentimentos, pois aprende que é errado sentir raiva. Fica de castigo, apanha, recebe diversos recados dos adultos de que tem que respeitar os mais velhos, sente-se culpada por sentir raiva ou ódio e etc. A mágoa acaba ocupando um lugar enorme em suas memórias. Essa criança cresce, vai trabalhar e no momento em que se depara com uma situação parecida, revive todos os seus sentimentos dolorosos, mesmo que ela não tenha consciência disto e passa a sentir muita raiva pelo chefe. Isso se estende para outros relacionamentos como colegas de trabalho ou marido/esposa ou outras pessoas.

As mágoas sempre estão ligadas a situações de não consideração por parte do outro e é originada na infância, desde o nascimento. São experiências sutis à gravíssimas.

Sempre que você sentir mágoa tente reparar em todos os sentimentos presentes e vá tentando buscar correlações com sua história de vida. As experiências mais graves são fáceis de serem lembradas, porém as mais sutis não e elas também causam muita mágoa.

Um bom detector que indica se a mágoa de hoje está relacionada com episódios do passado é a repetição dos eventos. Por exemplo, uma pessoa que muda de parceiro ou muda de trabalho e sempre se depara com as mesmas reclamações e sentimentos está presa nas situações do passado e as repetindo no presente. Precisa então fazer um resgate dessas emoções e situações, compreendê-las para assim transformá-las e diluí-las. Somente após esse processo conseguirão vivenciar as experiências de outra maneira, livre das mágoas do passado. Outro detector é o sentimento de ódio e raiva. Geralmente há mágoas por detrás desses sentimentos.

Se a raiva ou ódio são frequentes, em diversas situações, pode haver muitas mágoas internas. Ódio pelo governo que é corrupto e injusto, ódio pela empresa que só pensa no lucro, ódio em situações onde o outro sempre o prejudica, ódio quando sente que o outro não o considera, se não curarem suas mágoas passarão a vida neste ciclo de sofrimento. Há também os que engolem os sentimentos. Aparentemente sentem-se ótimos, felizes, mas internamente estão armazenando muita mágoa e ficam ruminando-as por anos.

Na psicanálise a repetição dos sentimentos do passado no presente é uma forma inconsciente da pessoa tentar resgatar e elaborar essas situações dolorosas, porém esse mecanismo é ineficaz, trazendo e mantendo o sofrimento. Mas ao compreendermos que são sinalizadores conseguimos detectar a causa/origem e efetivamente caminhamos no sentido da cura.

Como venho apontando na maioria dos meus textos, sem o aprofundamento e conhecimento do nosso interno dificilmente seremos livres e prósperos. A prosperidade incluí saúde física e emocional, felicidade, dinheiro, amor consigo e para com os outros, perdão ao outro e a si próprio, doação, entrega às experiências da vida com menos resistências internas.

É necessário cuidar do mundo interno (emocional) para diminuir o sofrimento e evitar atitudes destrutivas para com os outros e para si próprio. Direcionar a raiva ou ódio, provenientes de mágoas antigas, aos demais não solucionará nenhum problema, muito pelo contrário, trará muito mais sofrimento.

Cristina Ciola Fonseca
Psicanalista, graduada na PUC-SP, com especialização na UNIFESP
Consultório particular (11) 5052 9286 / 99850 9074
[email protected]