meditação

Pesquisas já mostraram que a prática de meditação para reduzir a dor e todos os limiares, principalmente em casos crônicos como artrite reumatoide ou fibromialgia.

O mecanismo que explica este efeito da meditação foi descoberto por pesquisadores da Universidade de Montreal, no Canadá. Por meio de técnicas de neuroimageamento, os cientistas observaram que uma estrutura central do cérebro – o córtex cingulado anterior – é mais volumosa nos adeptos da meditação do que em pessoas que nunca praticaram. Essa área cerebral não só é responsável pelo processamento dos estímulos dolorosos como participa da emoção e da tomada de decisões. O estudo foi publicado na revista Emotion.

Segundo o fantástico livro: “A linguagem do corpo” da Cristina Cairo, a dor é um sinal forte de carência e abandono emocional. Casos crônicos de dor, como fibromialgia e doenças do sistema nervoso, são fortes indicativos que precisamos de atenção. E ninguém melhor do que nós mesmos para nos proporcionar isso. Ela propõe algo como meditação para reduzir a dor: Pare, respire, escute cada sinal do seu corpo, não faça julgamentos, somente observe! Se agrade, se tranquilize e entregue.

15 minutos por dia de meditação, hein? ;-)

Fonte: Revista Mente Cérebro – Scientific American

Acesse também o post: Meditação alivia os sintomas da dor: clicando aqui e vendo outra pesquisa sobre a área