Woman with insomnia

Ainda temos muito o que aprender sobre essa que é uma das mais antigas atividades humanas. Quanto você sabe a respeito do efeito do sono sobre as atividades cotidianas – e vice versa?

Aqui no blog este assunto tem sido bem citado, e você que sofre de insônia pode conferir o post das minhas pérolas pró sono. Novas pesquisas revelam mais detalhes curiosos sobre o que o período da noite representa à saúde.

Sono e aprendizado

Muitas pessoas ficam acordadas antes de uma prova ou de um evento importante. Mas há cada vez mais evidências de que o sono faz parte do processo de armazenamento de novas informações. Dois especialistas americanos em sono que examinaram a questão recentemente na revista Nature Neuroscience chamaram o processo de organização e codificação que ocorre no cérebro de “triagem de memória dependente do sono”. É claro que a maior parte do aprendizado acontece quando estamos acordados, mas alguns tipos de processamento de memória só podem ocorrer quando estamos dormindo.

Sono e barulho

Não é novidade que um dos fatores que mais influenciam o sono é o barulho. Mas os tipos de barulho que afetam o sono nem sempre são tão óbvios quanto o cachorro ou o filho adolescente do vizinho.
O barulho – na maioria dos casos provenientes do trânsito – só fica atrás da poluição do ar como fator ambiental que afeta negativamente a saúde, de acordo com um relatório recente da Organização Mundial de Saúde e do Centro de Pesquisa Conjunta da Comissão Europeia. A publicação de 2011 concluiu que na população urbana europeia, perde-se pelo menos um milhão de anos de vida saudável por causa do barulho.

De fato, me mudei recentemente para um local bem mais barulhento, próximo a uma avenida que circula até ônibus, e percebi que a qualidade do meu sono caiu muito. Apelei para os tapões de ouvido e, com o tempo, a percepção do ruído melhorou, mas é importante ficar atento. Vale a pena ficar de olho quando escolher o próximo imóvel, ne?

Sono e álcool

É comum as pessoas acharem que um drinque antes de dormir ajudar a dar sono. Os pesquisadores do Centro do Sono em Londres, no Reino Unido, revisaram 38 experiências envolvendo álcool e sono com mais de 500 pessoas nas últimas cinco décadas e constataram que realmente um drinque pode dar sono, mas este não é tão duradouro e restaurador quanto o que se obtém, quando se vai dormir sóbrio.

A tal da “tacinha” de vinho no jantar todos os dias já foi razão de vários problemas de sono e dor de cabeça para meus pacientes, conforme seus relatos e nossos diagnósticos.

Portanto, a dica é observar toda a agitação e hábitos que antecedem o sono para que a noite seja mais tranquila e restauradora. Deixem os “smarts celulares” mais cedo (isso também funcionou para mim), caprichem no ritual pré-sono, como a meditação e a leitura, e bom sonhos!

Have sweet dreams!

Fonte: Seleções’ Digest