krishna

Mexendo nos meus arquivos, achei uma matéria da Revista Época de 27 de novembro de 2006 e o título é “Sai China entra Índia”, e o texto faz uma abordagem breve sobre uma forte tendência de comportamento que passava a ser adotada entre executivos de grandes empresas americanas na época: seguir os ensinamentos da filosofia indiana na vida pessoal e nos negócios. A referência da “nova onda” era Krishna, abordando o auto conhecimento e conhecimento do Universo como principais ferramentas de sucesso, desbancando o chinês Sun Tzu, de ‘A arte da Guerra’, com abordagem muito mais focada no “inimigo”.

Dá uma checada básica na comparação feita pela matéria Sai China, Entra Índia:

Krishna: É a oitava manifestação corporal de Vishnu, deus responsável pela manutenção do Universo. Seu texto referência é o Bhagavad Gita, que relata seus conselhos a Arjuna (um discípulo) antes de um combate. Sua recomendação para a vida: “Não basta simplesmente fazer o bem. É preciso ser bom.”

Sun Tzu: Foi um estrategista militar chinês que viveu entre os anos 544 a.C. e 496 a.C. Seu texto referência é ‘A Arte da Guerra’, onde ensina o que você deve fazer para aniquilar seu adversário. Sua recomendação para a vida é: “Não faça o que você mais gostaria de fazer. Faça o que seu adversário menos gostaria que você fizesse”.

E vocês? Como acham que o comportamento das empresas e da sociedade em geral evoluiu estes quatro anos? Mais para Krishna ou Sun Tzu?