Sorrow

Como identificar os sinais de depressão e descobrir se você atravessa esta fase?

“A depressão afeta cerca de 350 milhões de pessoas no mundo. Caracteriza-se pelo humor triste (rebaixamento do humor). Duração de pelo menos 2 semanas. Pode ser classificada como leve, moderada ou grave.

Os sintomas são tristeza, melancolia, choro fácil ou frequente, apatia (“tanto faz como tanto fez”, falta de sentimento), tédio, aborrecimento crônico, irritabilidade a pessoas, barulhos, angústia ou ansiedade, desespero, desesperança, fadiga, desânimo, insônia ou hipersonia, perda ou aumento do apetite, palidez, diminuição do desejo sexual, perda do prazer pela vida, pessimismo em relação a tudo, ideias de culpa, ruminações com mágoas antigas, idéias de morte, de sumir, dormir para sempre, ideias suicidas, perda de atenção e concentração, dificuldade de tomar decisões, sentimento de baixa autoestima, de vergonha, autodepreciação.

Suas causas estão ligadas a perdas (entes queridos, trabalho ou uma quebra abrupta na vida) – aspectos psicológicos; biológico, genético hereditário e neuroquimicos.” (retirado do texto Ansiedade, depressão, pânico, angústia e estresse – veja o post clicando aqui).

Ao ler este trecho acima você pode achar que tem alguns sintomas mas, que não caracterizam depressão. Porém, a depressão pode começar de forma bem leve e a pessoa vai adaptando-se à ela sem perceber o quanto sua vida está sendo afetada.

ilustra1

Alguns indivíduos sofrem tanta pressão no trabalho que começam a acreditar que estão cansados e desmotivados por conta do estresse que vivem e continuam a tocar a vida sem buscar tratamento. Com o passar do tempo a depressão vai aumentando e aos poucos começam a se queixar mais da vida, deixam de sair de casa aos finais de semana, de buscar atividades prazerozas, começam a ver o mundo de maneira mais negativa, vão perdendo o interesse pelas coisas e justificam isso com o cansaço que sentem. Vão se isolando do mundo, dos amigos. Nos finais de semana dizem preferir ficar em casa, comer em casa, tendem a dormir bastante a tarde na tentativa de compensar o estresse que viveram durante a semana. A irritabilidade também é justificada pelo excesso de trabalho, as vezes até trabalho extra nos finais de semanas.

A maioria, senão todos os acontecimento tornam-se difíceis e até mesmo torturosos porque o sofrimento e estresse estão já num nível alto, tornando difícil seu manejo, o que afeta diretamente no manejo de outras circunstâncias que, para quem não está com depressão, são sentidas de maneiras mais fáceis de serem transpostas.

O quadro pode ir se agravando por anos e além da perda da qualidade de vida há um grande aprisionamento da mente, do corpo, das emoções e sentimentos. Muitas pessoas que estão com quadro de depressão negam buscar ajuda, só quando o quadro se agrava enormemente recorrem ao tratamento. Pode levar ao suicídio ser não for tratada.

As pessoas que convivem com quem está com depressão, no início também acreditam no discurso do cansaço, do estresse. Mas com o tempo vão percebendo que há algo errado, mas muitas vezes não conseguem fazer com que a pessoa busque ajuda.

Buscar tratamento logo no início evita muito sofrimento e rapidamente a pessoa pode resgatar o sentido da vida. O tratamento baseia-se em procurar um médico psiquiatra que irá compreender o grau da depressão e receitar um remédio específico com dosagem certa, bem como é muito indicado associar este tratamento com o psicólógico. Grande parte da depressão pode estar ligada à fatores emocionais. Por isso, é muito importante cuidar das causas e não somente dos sintomas.

Abordei praticamente a depressão causada pelo estresse do trabalho mas ela serve para todos os tipos de circunstâncias que a desencadeiam. Pode acontecer na adolescência, no pós parto, na perda de um ente querido sem recuperação da dor e impossibilidade de fazer o luto, também pode estar ligada à fatores biológicos, genéticos.

Tristeza não necessariamente caracteriza depressão. Podemos estar tristes por diversos motivos e a tristeza passa depois de algumas horas ou dias; a depressão é contínua todos os dias.

Se você se identificou com este post busque ajuda o mais rápido possível! A depressão é uma doença que precisa ser tratada, não é motivo de vergonha.

Compartilho abaixo um vídeo lindo, poético de como podemos olhar o mundo.

Cristina Ciola Fonseca
Psicanalista, graduada na PUC-SP, com especialização na UNIFESP
Consultório particular (11) 5052 9286 / 998509074
[email protected]