Young woman lying in bed

Em muitas conversas escuto as pessoas falarem sobre a zona de conforto. “Ah, fulano não muda porque não sai da zona de conforto”.” A culpa é minha porque fico na zona de conforto”.

Para a psicanálise, zona de conforto significa segurança. É um lugar de proteção. Precisamos nos sentir seguros para nos aventurar às mudanças e para crescermos em todos os níveis da vida. Todos nós carregamos o instinto de sobrevivência e quando algo ameaça a vida emocional a zona de conforto é um lugar de abrigo, onde o refúgio se faz necessário.

Na escola aprendemos diversas matérias e a cada ano, novos conhecimentos nos são oferecidos. O conteúdo escolar é baseado na capacidade do indíviduo de assimilar as matérias conforme seu desenvolvimento intelectual ocorre. No âmbito emocional o processo não ocorre desta maneira, pois até hoje pouco se ensina sobre seu funcionamento, bem como maneiras de desenvolvê-lo. Com sorte, pode-se nascer numa família que possui uma boa bagagem emocional, o que possibilita oferecer à criança um bom cuidado físico, emocional e espiritual, bases sólidas para um desenvolvimento mais adequado e promissor.

Medo excessivo

Se por ventura faltou essa base em algum nível do desenvolvimento, a pessoa experimenta uma sensação de insegurança. Com medo, agarra-se a tudo o que lhe parecer seguro. Isso não seria um problema se não virasse um ciclo vicioso. Medo excessivo leva a busca de proteção. Só que passar a vida no abrigo no impede de experimentar as possibilidades da vida. Sem base sólida, vem o medo. A pessoa fica presa entre medo e zona de conforto.

Como na escola, se há uma dificuldade em alguma matéria o aluno precisa de reforço para conseguir prosseguir. No mundo emocional o caminho é semelhante. Se recebermos elementos emocionais que nos faltaram ou que foram falhos e que constituem a base, nos fortalecemos e conseguimos prosseguir na vida, superando obstáculos, desafios e principalmente, o medo.

Medo e zona de conforto estão ligados. Quanto mais medo sentimos da vida mais precisamos recorrer ao lugar seguro. Imaginem uma cidade que diariamente sofre ameças de furacão. Todo dia soa uma alarme de perigo e como de costume, todos correm para os abrigos subterrâneos. Muitas pessoas vivem essa situação internamente, algumas mais intensamente outras menos. Por não terem recebido essa bagagem emocional, sentem-se à merce da vida e esta é encarada como muito perigosa.

Aquisições e busca por orientação

Para a psicanálise o desenvolvimento emocional ocorre através de aquisições. Mas, para que elas possam acontecer o bebê e a criança precisam receber dos pais ou dos cuidadores um cuidado que engloba não somente o físico. Precisa estar presente na relação um bom olhar, uma boa escuta e compreensão das reais necessidades emocionais de cada ser. Se a família não recebeu esses cuidados, não consegue oferecer à criança. Por isso é muito importante os pais buscarem informações sobre o desenvolvimento emocional e muitas vezes receber ajuda. Isso serve aos adultos que se identifiquem nesse quadro apresentado por mim.

Não precisamos passar a vida com medo, sofrendo constantes ameaças. Isso desequilibra nosso corpo físico, emocional e espiritual e muitas doenças podem surgir. Dependendo das faltas nem a zona de conforto é suficiente para acalmar. É como se não houvesse abrigo ou se este não fosse seguro o suficiente. Surgem então sentimentos ansiosos, depressivos, apatias, medo excessivo e etc. Assuntos que irei explorar nos próximos textos.

Cristina Ciola Fonseca
Psicanalista, graduada na PUC-SP, com especialização na UNIFESP
Consultório particular (11) 5052 9286
[email protected]