yoga_gravida

Duas especialistas neozelandesas em gestação revelaram que os exercícios de yoga são ferramentas eficazes para evitar que o bebê se posicione no útero com o dorso à direita, situação que leva a partos difíceis e demorados e diante da qual a maioria dos médicos acaba optando pela realização da cesariana.

A parteira Jean Sutton e a orientadora pré natal Pauline Scott observaram que, nas últimas décadas, verificava-se um crescimento drástico nos índices de partos com bebês nesta má posição (mais de 50% dos casos) e, após vários estudos, concluíram que isso se deve à má postura da mãe moderna, que passa várias horas diante do computador, dirigindo e assistindo à tevê em sofás bastante confortáveis, sentada com a região lombar projetada para frente (o que fica em contato com o encosto da cadeira ou do sofá é apenas a região dorsal – ou toráxica) e, muitas vezes, com os joelhos elevados acima da região pélvica. E isso sem falar no índice de sedentarismo atual, que é maior e também contribui para o problema.

Sutton e Scott alertam que a gestante precisa ficar muito atenta à sua postura ao longo da gravidez, principalmente nas seis semana que antecedem o parto. Desta maneira, podem levar à condição que elas denominam Optimal Foetal Positioning, que seria a posição fetal perfeita para o nascimento.

O mau posicionamento do bebê ocorre pelo seguinte fato: as costas do bebê correspondem à parte mais pesada do corpo dele; isso significa que, naturalmente, as costas irão procurar a parte mais baixa do abdômen da mãe para se acomodar. Assim, se a região lombar da mãe fica constantemente projetada para frente (elevando de certa forma a barriga), a tendência é que as costas do bebê estejam em contato com a barriga da gestante.

Para reverter este quadro, as especialistas recomendam – entre outras ações – a prática do yoga. O resultado de uma boa postura não ocorre apenas no parto, mas ao longo da vida: as mulheres adquirem uma consciência corporal permanente. E vale lembrar que isso é muito importante não só para assegurar um nascimento mais fácil, como também para a recuperação no pós-parto. Afinal, mulheres que tendem a projetar a lombar para frente costumam ficar, após a chegada do filho, com a barriga saliente, as nádegas para dentro e os seios caídos. É uma questão, portanto, de saúde e de estética.

Separei abaixo uma sequência que gosto muito para a prática das gestantes.

POJCYogaMomFront

Fonte: Yoga para Gestantes, Fadynha
SUTTON, Jean & SCOTT, Pauline. Understanding and Teaching Optimal Foetal Positioning. New Zealand: Birth Concepts, 1995